P.S. Eu te amo

2 12 2009

 

P.S. Eu Te Amo  é uma produção para “elas” que rende boas lágrimas. Quando uma pessoa amada morre, quem fica deseja poder ter tido mais alguns instantes com ela, fazer com que suas características permaneçam em nossa vida por mais algum tempo. Holy (Hilary Swank), protagonista de P.S. Eu Te Amo , tem essa “colher de chá”. Seu marido Gerry (Gerard Butler) morre devido a um tumor no cérebro e, durante todo período de sua doença, escreve cartas que serão enviadas à mulher após a sua morte. O longa centra-se na dificuldade de Holy em lidar com a morte do marido e os sentimentos que as cartas despertam nela. Ir se divertir em uma boate, cantar num videokê , comprar um abajur ou fazer uma viagem: as cartas de Gerry dão os conselhos mais esdrúxulos à viúva, mas são eles que ajudam Holy a não enlouquecer e a voltar a tocar sua vida normalmente. Além das cartas, Holy tem uma turma de amigos que consegue levantar seu astral e garante uma boa dose de humor ao longa. As atrizes Lisa Kudrow, conhecida como Phoebe do seriado Friends , e Gina Gershon ( Um Cara Quase Perfeito ), formam uma dupla engraçada e revelam peculiaridades do universo feminino, como idéias sobre o casamento e o desejo de ser mãe. Falando em atuações, quem pensaria que Hilary Swank, que vem de papéis mais fortes e trágicos como em Menina de Ouro , e Gerard Butler, o fortão de 300 , formariam um casal tão entrosado e harmonioso? Pois esse é um dos pontos altos do longa. Tanto Hilary como Butler encarnam personagens simples, próximos da realidade do espectador, com muita competência. P.S. Eu Te Amo destaca-se no gênero pela qualidade e entrosamento dos atores. O romantismo continua o foco central do longa e, para quem gosta desse tipo de produção, é uma ótima opção.

 

Confira o trailer:

Anúncios




De porta em porta

2 12 2009

 

“De Porta em Porta” (“Door to Door”, 2002, 90 min) apresenta a história verídica de Bill Porter, um vendedor de porta em porta dos Estados Unidos. Seria uma história comum, com uma pitada de nostalgia para alguns, não fosse um detalhe: Bill tem paralisia cerebral. Mas isso não o impede de lutar pela sobrevivência, e mais: pela superação e reconhecimento. Quando pede uma chance de trabalhar para uma empresa, de início ele é rejeitado por suas limitações evidentes. Porter não se dá por satisfeito e insiste: pede que lhe seja dado o bairro mais difícil da cidade. Consegue o emprego e tenta vender seus produtos, sem muito sucesso, inicialmente. A mãe, sempre presente, o incentiva a não desistir, até que ele consegue vender algo para uma mulher solitária. Daí para frente, Porter não pára mais de vender. Mas não faz apenas isso. Ele acaba tocando a vida de toda aquela comunidade, interagindo com as pessoas dali por muitos anos. Torna-se mais que um vendedor; transforma-se num amigo.

A grande lição deixada pela mãe de Porter é: “persistência e paciência”. Ele aprendeu a lição e acabou se tornando um dos maiores vendedores de sua empresa. Para os vendedores de hoje, fica a lição: entender as necessidades dos clientes, ouvir de forma interessada, quebrar preconceitos, tornar-se “amigo”. Fica também a crítica aos modernos sistemas de vendas que tratam as pessoas como objetos de quem se deve arrancar dinheiro.

Não se pode deixar de destacar também a atuação de Kyra Sedgwick, Helen Mirren e Kathy Baker, que interpretam mulheres importantes na vida de Bill e cuja atuação (assim como a de William Macy) é excelente.

Um filme comovente e inspirador.





Batman – O cavaleiro das trevas

2 12 2009

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

O Cavaleiro das Trevas é pura e simplesmente uma evolução de Batman Begins, dos personagens, dos heróis e principalmente os vilões que conseguem mostrar como REALMENTE um vilão é.

Alfred (Michael Caine) e Lucius Fox (Morgan Freeman) retornam nessa sequência e são fundamentais na proposta do filme e a saida de Katie Holmes – que interpretava Rachel Dawes – não chega a ser um problema. Muito pelo contrário, Maggie Gyllenhaal consegue substituí-la à altura. O mesmo podemos dizer do Coringa. E que Coringa. Ele não é um palhaço engraçado. Não dá pra achá-lo engraçado… Ele é assustador como deve ser. Ele é a personificação do Terrorismo e do caos. Impõe o pânico em Gotham City de um modo que até mesmo nosso herói – o Batman – pensa melhor sobre o que está fazendo. Com certeza Heath Ledger vai fazer MUITA FALTA. O papel da sua vida, a obra-prima de sua carreira que o deslancharia de vez para o mundo Hollywood.

Já Christian Bale mostrou que é a pessoa certa para o filme e para o personagem. O seu Bruce Wayne mostra uma personalidade diferente daquela que vimaos em Batman Begins. Seu Batman se mostra mais dedicado, mais obscuro e, quando necessário, mais violento quando as coisas chegam a um ponto sem volta.

Se a história fosse Batman e Coringa do modo que o filme nos mostra, pra mim, já estaria ÓTIMO, mas Christopher Nolan resolveu fazer mais. Introduziu na história Harvey Dent – o Cavaleiro da Luz, um promtor público que busca a justiça a qualquer preço, sem se importar com os meios necessários para isso. Aaron Eckhart se mostra mais um ator com uma ótima interpretação e se torna mais impressionante após alguns acontecimentos inesperados. É nesse momento que o filme consegue se tornar MAIOR do que já é graças ao Coringa. O vilão perde o foco por alguns momentos e da espaço para um novo (ou conhecido) personagem – um novo vilão.

Batman: O Cavaleiro das Trevas não é um filme comum e Nolan, com a sua mágia consegue nos entreter, nos assustar, nos paralisar diante de uma verdadeira lição à Hollywood.

Confira o trailer:





Quem quer ser um milionário?

2 12 2009

Quem Quer Ser um Milionário atraiu a atenção de todos e se firmou como um dos melhores do ano. Tudo muito bem explicado com os recortes no tempo que nos levam de um lugar a outro através de vários momentos do jovem Jamal que se inscreve no programa de auditório que mudaria a sua vida. Inicialmente desacreditado, ele encontra em fatos de sua vida na favela – onde ele e o irmão cresceram, as aventuras juntos, os enfrentamentos com gangues e traficantes de drogas e até mesmo o amor por uma garota –  as respostas das perguntas feitas. Respostas que o ajudarão a, além de ganhar o prêmio, provar sua inocência por ele ter sido suspeito de trapaça.

Se algumas passagens são engraçadas, outras são tristes e, assim, várias emoções são provocadas naqueles que assistem ao filme. Para quem sempre quis conhecer mais sobre a Índia é muito interessante. Uma excelente pedida para dias tranqüilos.

Confira o trailer para aumentar a vontade de ver:





De repente é amor

2 12 2009

De repente é amor, a comédia romântica perfeita para a geração de hoje, o filme estreou em 2005 e lotou os cinemas do mundo todo. É um romance um pouco diferente do que o cinema está acostumado. Conta como às vezes as pessoas levam anos para dar conta de que foi amor à vista. Ashton Kutcher e Amanda Peet decidem testar a teoria de que os opostos se atraem e vivem uma paixão relâmpago de Los Angeles a Nova York. Quando a viagem acaba, o romance acaba, mas apesar de voltarem para as suas vidas, os dois não separam completamente. Em sua eterna busca por um amor sem fim, acabam sempre encontrando um ao outro.

Caso queiram saber mais sobre o filme, aqui vocês podem saber mais algumas coisinhas, como trilha sonora, ver o trailer, fotos etc e tal! Espero que gostem!